Infraero vai conceder áreas para hotéis

A empresa analisa conceder áreas nos aeroportos de Porto Alegre, Congonhas, Vitória, Confins e Curitiba

Na tentativa de melhorar os serviços nos aeroportos, a Infraero vai conceder ao setor privado novas áreas nos principais terminais do país. O foco da empresa será a construção de hotéis e edifícios-garagem que poderão ser explorados por prazos de até 25 anos. Neste último caso, disse uma fonte, há uma forte demanda e a estatal não consegue atendê-la.

Na próxima quarta-feira, será aberta uma licitação internacional inédita para construir um empreendimento hoteleiro no aeroporto de Brasília.

No dia 23 de setembro, será aberta outra licitação internacional para construir mais um hotel no Tom Jobim (Galeão). O terceiro hotel, ainda em fase de estudo, deverá ser no Santos Dumont, num espaço nobre, em frente à Marina da Glória, que pertencia à antiga Varig e está ocioso. Também será erguido no local um edifício-garagem.

Os hotéis em Brasília e no Galeão têm previsão de investimento de R$ 13,575 milhões cada um. O valor mínimo de aluguel mensal para a Infraero é de R$ 19 mil, no caso de Brasília, e de cerca de R$ 22 mil no caso do Galeão. Estes são valores fixos, mas poderão ser estabelecidos também variáveis, de acordo com o lucro.

A Infraero analisa conceder áreas para a construção de hotéis também nos aeroportos de Porto Alegre, Congonhas (áreas retomadas da Vasp e da Transbrasil), Vitória, Confins (BH) e Curitiba.

A empresa também está concluindo estudos para conceder ao setor privado uma área em Guarulhos (SP), onde será construído um edifício-garagem. Estão em fase de definição, por exemplo, o modelo de licitação e o prazo da concessão. A previsão é que o edital seja lançado ainda este ano.

O próximo da lista deverá ser Curitiba. Os dois aeroportos enfrentam gargalos no estacionamento de veículos. Na concorrência pela construção dos dois hotéis em Brasília e no Galeão, vencerá a disputa quem oferecer o maior preço. Segundo fontes da empresa, a expectativa em torno do resultado da licitação é muito positiva devido à procura de grandes operadores nacionais e estrangeiros (ingleses, espanhóis e italianos, além de investidores em geral).

"Fizemos várias reuniões com grupos estrangeiros. Há um grande interesse no Brasil, motivado pelos eventos da Copa do Mundo e das Olimpíadas", disse um técnico da Infraero, acrescentando que, para divulgar o evento fora do país, a Infraero contou com a ajuda do Itamaraty e das embaixadas.

Hoje, há um hotel em Guarulhos e dois no Galeão. A intenção é ampliar o serviço para toda a rede. Os hotéis terão que oferecer categoria econômica mínima e serviços diversificados.


Fonte:Diário do Nordeste via Pousada da Cmra Daniele Carreiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails