Mau tempo e dificuldade de acesso dificultam resgate dos corpos do acidente aéreo no Paquistão

Resgate dos corpos dificultado pelas fortes chuvas

Fortes chuvas que atingem a região da capital paquistanesa desde a noite de quinta-feira impedem o trabalho de resgate dos corpos dos 152 mortos na queda de um avião da companhia aérea AirBlue, informaram autoridades locais.



Além das dificuldades de movimentação e identificação dos restos mortais entre os escombros, oficiais envolvidos na operação disseram que o mau tempo não possibilita a decolagem dos helicópteros usados neste tipo de resgate.

Bin Yameenm, vice-inspetor-geral da polícia de Islamabad, disse que a operação para recuperar os restos mortais não pode ser retomada por conta das fortes chuvas. As dificuldades de acesso ao local também atrapalham os esforços de resgate.

"Estamos esperando a chuva parar. Num clima desses, nem os helicópteros podem voar, nem as equipes de resgate podem se mover facilmente", disse.

"Podemos tentar, mas parece difícil realizar essas operações num terreno tão difícil", acrescentou.

RESGATE E CAUSAS DO ACIDENTE

Os últimos dados revelados pelo ministro de Informações paquistanês, Qamar Zaman Kaira, eram de que 115 corpos já haviam sido recuperados e 12 tinham sido identificados.

"Infelizmente, ninguém sobreviveu. Muitos corpos não estão em boas condições", disse Kaira, em entrevista coletiva. Segundo ele, o acidente "foi terrível, houve incêndio" e "é difícil identificar os corpos. Os pertences dos passageiros também foram bastante danificados e testes de DNA devem ser usados para identificar as vítimas," segundo o ministro.

O Airbus A321 caiu na quarta-feira em uma região montanhosa em meio a uma floresta pouco antes da hora que deveria pousar em Islamabad, vindo da cidade de Karachi, no sul do país.

A neblina e a forte chuva são também consideradas as causas mais prováveis para o pior acidente aéreo já ocorrido em solo paquistanês.

Investigadores analisam as causas do acidente, disse o oficial da Administração de Aviação Civil Ayaz Jadoon.

"Eles analisarão registros e documentos, embora não possam subir por causa do mau tempo", disse ele, acrescentando que a caixa preta da aeronave ainda precisa ser encontrado.

O avião Airbus A321 da companhia aérea Airblue, decolou às 7h50 (23h50 de terça-feira em Brasília) da cidade de Karachi, no sul do país, com destino a Islamabad. A aeronave levava 146 passageiros e seis tripulantes a bordo e caiu nas Colinas de Margala, a norte da capital.

ONU

O secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Ban Ki-moon, expressou seu "sentidos pêsames ao povo e ao governo do Paquistão, assim como aos aflitos familiares de todos os que foram vítimas desse trágico acidente", segundo o porta-voz da organização. Ban enviou uma carta ao primeiro-ministro paquistanês, Yusuf Razá Guilani, expressando suas condolências nesse "momento de dor".

Dois americanos estavam entre as vítimas, segundo um porta-voz da embaixada americana, que não soube dar mais detalhes.

INVESTIGAÇÃO

Segundo as primeiras informações, o piloto teria se perdido após ser forçado a mudar de rota pelo mau tempo. Desorientado, ele desceu demais e atingiu as colinas no Paquistão.

O tempo nublado e chuvoso teria forçado o piloto do Airbus a mudar sua rota prevista de Karachi rumo à capital Islamabad. A torre de controle do aeroporto da capital pediu que ele desviasse das colinas e seguisse um caminho paralelo.

No caminho, contudo, o piloto teria perdido contato com a torre de controle e ficado sem orientação. Segundo a agência de Aviação Civil, ele chegou a liberar os trens de pouso e iria aterrissar no local, mas acabou batendo na colina.

Região fica em cinzas após queda de Airbus paquistanes na colina de Margala; 152 a bordo morrera/ T. Mughal/Efe

"O piloto recebeu informações para pousar na pista 1 ou 2", disse o ministro do Interior, Rehman Malik. "A aeronave estava a 792 metros antes de pousar, mas de repente foi para 914, o que não tem explicação." "Se a visibilidade para a pista de pouso era tão ruim, então ele deveria ter desviado."

A aeronave bateu em uma área montanhosa e de floresta, de difícil acesso, quando vinha da cidade de Karachi. A forte neblina e o tempo chuvoso são considerados os motivos mais prováveis do acidente, mas Kaira não descartou sabotagem e disse que todas as possibilidades serão investigadas.

O ministro de Defesa, Ahmed Mukhatar, disse que a torre de controle do aeroporto foi fechada e uma equipe vai investigar o gravador de dados e as conversas de rádio entre o avião e a torre.

"Se você tomar a posição dos destroços, fica claro que o avião estava além das margens seguras. Ele deveria ter manobrado dentro de 8 km da pista de pouso, mas isso não aconteceu", disse Ejaz Haroon, diretor de operações da empresa aérea estatal PIA.

AIRBLUE

A empresa AirBlue começou a operar em 2004 com uma frota de Airbus A320 e A321, segundo o website da companhia. A empresa opera principalmente rotas domésticas, bem como para os Emirados Árabes Unidos, Omã e Manchester, no Reino Unido.

O porta-voz Raheel Ahmed disse que foi o primeiro acidente da empresa e que uma investigação está em curso.


"É muito cedo para especular", disse ele sobre a causa do acidente. "As autoridades de aviação civil também serão envolvidas." 

Fontes: FOLHA - REUTERS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails